Destinos

Continuando a nossa série especial sobre as chapadas brasileiras, o destino da vez é a Chapada dos Guimarães, mais um local paradisíaco e recheado de atrações para os aventureiros e até para os não tão aventureiros assim.

Diferente da Diamantina (post completo aqui), que tem um acesso bem mais complicado, a Chapada dos Guimarães está a apenas 70 km de Cuiabá. Essa facilidade a torna uma opção bastante acessível financeiramente e até para quem tem pouco tempo para aproveitar a região.

Assim como acontece com a maior parte das áreas de preservação controladas pelo governo, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães está sob os cuidados do ICMBio. Por isso, muitas atrações têm horários específicos de funcionamento, taxa de entrada e podem até ser acessíveis apenas com o acompanhamento de guias. Apesar do custo extra na viagem, isso não é algo negativo, até porque isso proporciona mais segurança aos visitantes e ajuda a manter toda a estrutura e preservação ambiental da região.

Parque_Nacional_Chapada_dos_Guimarães_-_Cidade_de_Pedra
Cidade de Pedra, no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. – Foto: Maíra Arantes Leite Wick/Wikimedia Commons

Atrações

Quem visita a Chapada dos Guimarães se depara com uma imensidão natural e biodiversidade única, afinal o Parque Nacional se estende por uma área de 33 mil hectares. Além da vegetação, característica do cerrado, e dos imensos paredões avermelhados, é muito comum avistar enormes araras coloridas, aves de diferentes espécies, répteis e os mais diversos tipos de animais.

Entre os passeios mais comuns, estão as visitas às cachoeiras, cavernas e mirantes. A cachoeira mais famosa é o “Véu da Noiva”, com 86 metros de queda e fácil acesso. Assim como ela, diversos outros mirantes estão espalhados pela Chapada e podem ser alcançados de carro mesmo, com áreas asfaltadas até bem próximo aos pontos de observação.

Estradas_pela_Chapada_dos_Guimarães
Estrada com destino ao Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. – Foto: Marinelson Almeida Silva/Creative Commons

Para os mais aventureiros, é possível encarar o trekking do Morro de São Jerônimo, com 16 km de caminhada e escalada, compensadas por uma vista panorâmica incrível. Além dessa, a chapada tem diversas trilhas curtas, que podem ser feitas a pé ou de bike.

Uma das curiosidades sobre o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é que lá está o Centro Geodésico, um mirante localizado no meio da América do Sul, em um ponto equidistante entre o oceano Pacífico e Atlântico. Para completar as opções, a região também tem uma boa variedade gastronômica a restaurantes com comidas típicas localizados nos próprios mirantes, onde é possível aproveitar uma bela refeição curtindo toda a imensidão da Chapada.

Chapada dos Guimaraes_Cidade_de_pedra
Cidade de Pedra. Foto: Edmilson sanches – Creative Commons

Escrito por

Thaís Teisen

Jornalista, formada pela FIAM-FAAM, com especialização em Mídias Digitais pela Universidade Metodista de São Paulo. É apaixonada por esportes, natureza, música e faz parte do time The North Face de Conteúdo Digital.