Foto: Brandon Joseph Baker

Planejamento é essencial para evitar muitos imprevistos no meio do caminho

Fazer uma trilha exige planejamento. Não importa se é uma aventura curta, de poucas horas, ou se é um trekking que vai durar semanas, em todos os casos é preciso pensar em toda a logística e, principalmente, em quais alimentos serão colocados na mochila. A nutrição é essencial para que tudo ocorra como planejado. Por isso, nós separamos algumas sugestões que podem ser úteis na sua próxima viagem ou trilha urbana:

  1. Escolha alimentos nutritivos e que sejam leves

Ninguém gosta de carregar peso à toa. Quando o assunto é trekking, esse tema é ainda mais importante. O ideal é sempre reduzir o peso da mochila ao máximo. Por isso, além de levar apenas as roupas e utensílios realmente necessários, escolha alimentos que tenham alto valor nutricional e que ocupem pouco peso e espaço na mala.

Sugestões: Castanhas, frutas desidratadas e comida liofilizada.

  1. Opte por alimentos que já fazem parte da sua rotina

Evite colocar na mochila comidas com as quais você não tenha familiaridade, afinal, ter problemas intestinais em uma trilha não é nada agradável. Portanto, dê preferência ao que você está acostumado a comer.

  1. Lembre-se dos carboidratos

Além de não serem perecíveis, as massas são extremamente práticas e um dos alimentos mais comuns nos campings e trilhas. Macarrão instantâneo é sempre uma boa pedida para um jantar. Mesmo tendo baixo valor nutricional, essa é uma refeição que pode ser complementada com outros acompanhamentos, como carnes desidratadas e castanhas. Os pães também são boas opções, principalmente para as trilhas de um dia. Mas, lembre-se de evitar recheios perecíveis, como frios e requeijão. Uma boa sugestão é fazer um lanche no estilo norte-americano: pasta de amendoim e geleia. Ele tem bom valor energético e ingredientes que também ajudam na recuperação muscular.

  1. Chocolate (mas não muito)

Chocolate é uma boa pedida em qualquer ocasião. Em um trekking ele pode ser aquele combustível extra que vai te ajudar a renovar as energias e ainda dar um incentivo psicológico para ir um pouco mais longe. A paçoquinha também é outra opção de doce bastante funcional, gostoso e prático. Mas, não abuse. Já que esses são alimentos com alto índice glicêmico, absorvidos muito rapidamente pelo organismo.

  1. Gel e Frutas

Se o chocolate ajuda a aumentar a insulina, mas esse açúcar é absorvido muito rapidamente pelo corpo, as outros opções que garantiram melhores resultados são os gels de carboidrato e as próprias frutas. A frutose é absorvida mais lentamente pelo organismo, o que garante energia e saciedade por mais tempo.

  1. Hidrate-se sempre

Lembre-se de sempre ter o reservatório de água cheio. Não espere sentir sede para beber água, pois esse já é um sinal de desidratação. Também não beba em excesso, para que o organismo possa absorver tudo e você não tenha que fazer muitas paradas extras.

  1. Planeje as refeições

Planejamento é a palavra-chave, principalmente nas aventuras mais longas. Separe os alimentos de acordo com a quantidade de dias, pensando em quais refeições eles serão consumidos. O café da manhã e o jantar são sempre as refeições mais importantes, por isso, devem ser mais completas, para garantir energia para o dia de caminhada e também para a recuperação muscular. Portanto, não pule essas refeições.

Sugestões para café da manhã e jantar: macarrão instantâneo, sopas desidratadas, alimentos liofilizados, aveia instantânea, leite em pó, café solúvel, entre outras coisas.

Escrito por Thaís Teisen
Thaís Teisen é jornalista, formada pela FIAM-FAAM, com especialização em Mídias Digitais pela Universidade Metodista de São Paulo. É apaixonada por esportes, natureza, música e faz parte do time The North Face de Conteúdo Digital.