Foto: Eliane Kobayakawa/Flickr - Creative Commons

A série #BonitoPorNatureza traz dicas de aventuras em destinos nacionais para quem quer fugir do comum

O Brasil está cheio de lugares maravilhosos que enchem os olhos e os corações dos mais diversos tipos de aventureiros. Com tamanha diversidade nacional, as opções de destinos vão muito além dos famosos. Por isso, nós preparamos algumas sugestões de roteiros um pouco mais alternativos, que reservam inúmeras possibilidades e diferentes tipos de experiências.

Durante as próximas semanas, todas as quartas-feiras serão dia de destino novo na nossa série #BonitoPorNatureza. O primeiro deles é um parque para quem está em busca de uma aventura que mescle natureza e história.

Com vocês: Serra da Capivara

O Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí, é um verdadeiro oásis no semiárido nordestino. Repleto de uma riqueza histórica e natural absurda, a Serra da Capivara é considerada pela Organização das Nações Unidas pela Educação, Ciência e Cultura (Unesco) como um Patrimônio Cultural das Humanidade.

Com mais de 135 mil hectares de área protegida, o parque reserva diferentes tipos de atrações, desde a imensidão de vegetação nativa preservada (que inclui diversas espécies da fauna e flora da Caatinga), até as formações geológicas históricas, com cânions e boqueirões. Mas, o grande destaque é mesmo o fato de o Parque da Capivara ter a maior concentração de sítios arqueológicos de toda a América. São mais de mil sítios cadastrados, abertos à visitação e com um valor histórico-cultural incalculável.

Como chegar?

A sede do parque está localizada no município de São Raimundo Nonato (PI) e, apesar de existirem várias opções de acesso, o mais indicado é partindo de Teresina. Vale lembrar que a Serra da Capivara está a pouco mais de 600 quilômetros da capital do Piauí. As estradas estão em boas condições e o ideal é ir de carro, mas existem opções de ônibus que cobrem o trajeto.

Foto: Otávio Nogueira/Flickr - Creative Commons

Foto: Otávio Nogueira/Flickr – Creative Commons

O que fazer?  

Para os menos aventureiros, é possível fazer visitas apenas aos sítios arqueológicos, que possuem estacionamentos próximos e acesso a cadeirantes, visitar mirantes, conhecer a produção local de cerâmica e observar aves.

Quem busca uma imersão, com mais desafios, existem os trekkings, que podem durar de 20 minutos a 6 horas, variando em níveis de dificuldade, e os passeios de cicloturismo, que também podem variar de acordo com a disponibilidade de tempo e preparo físico.

De acordo com a administração local, a visita completa aos circuitos do Parque Nacional da Serra da Capivara é feita em seis dias. Vale lembrar que a presença dos condutores é obrigatória em todos os passeios e o parque não possui áreas para hospedagem ou campings.

A entrada no parque custa apenas R$ 25 e brasileiros ainda têm 50% de desconto.

Foto: Otávio Nogueira/Flickr - Creative Commons

Foto: Otávio Nogueira/Flickr – Creative Commons

Clique aqui para ter mais informações oficiais sobre o Parque Nacional da Serra da Capivara.

Escrito por Thaís Teisen
Thaís Teisen é jornalista, formada pela FIAM-FAAM, com especialização em Mídias Digitais pela Universidade Metodista de São Paulo. É apaixonada por esportes, natureza, música e faz parte do time The North Face de Conteúdo Digital.