Foto: Maximo Kausch

Maximo Kausch é um especialista em alta montanha. Por isso, nós fomos até ele para conseguir umas dicas!

Escalar uma montanha de altitude é uma prática que exige cuidados. Além de se preparar previamente para este desafio, é necessário dar uma atenção especial à aclimatação, para que o corpo se acostume com os efeitos da altitude e se adapte a condições muito diferentes das quais estamos acostumados no dia-a-dia.

Quem já esteve a mais de 5 mil metros do nível do mar sabe bem do que estamos falando. Se tem alguém que entende disso, esta pessoa é o alpinista, montanhista e guia de alta montanha Maximo Kausch. Por isso, nós perguntamos a ele quais seriam as dicas dele para aclimatação em montanhas de altitude.

Veja o que ele nos falou:

  1. Beba 5 litros de água por dia – Para melhorar as funções renais e a produção de células vermelhas (a raiz da aclimatação em altitudes), é necessário beber de 4 a 5 litros de água por dia. Isso deve ser feito de forma uniforme, ou seja, distribuída durante todo o dia e não só num período. A adição de chá, sucos ou outros suplementos que aumentem a quantidade de sais minerais na água é algo muito positivo, pois aumenta a absorção do líquido
  2. Lembre-se: todas as pessoas são diferentes – Não, repito NÃO tente se comparar com outras pessoas! A aclimatação depende de vários fatores, entre eles o genético. Cada pessoa aclimata de uma forma diferente e responde de uma forma diferente à altitude. Não espere que todos os seus amigos ou amigas respondam da mesma forma.
  3. Este é um esporte psicológico – O montanhismo de altitude é um esporte psicológico. Em grandes montanhas, as suas chances de sucesso são de 70% atreladas ao seu estado psicológico! A única forma de treinar o psicológico é indo para outras montanhas antes. Portanto, se você nunca esteve em altitudes e está escalando algo grande, suas chances de sucesso são menores.
    Foto: Maximo Kausch

    Foto: Maximo Kausch

  4. Leve a sério o treino cardiovascular: Para você ter sucesso na altitude, apenas 20% das suas chances de sucesso dependem do físico. No entanto, se você não garantir um condicionamento mínimo, você não terá sucesso. Para isso você precisa de um treinamento cardiovascular razoável (corrida, bicicleta, natação etc). Ao treinar, tenha MUITO cuidado com as lesões. A musculação não traz grandes benefícios no montanhismo de altitude.
  5. Carregar alto e dormir baixo: Esta é a melhor estratégia na altitude. A ideia aqui é você dividir a carga logística em 2, levar metade para uma altitude superior, descer e dormir em um acampamento baixo. Desta forma, você “engana” seu corpo, incentivando-o a produzir células vermelhas baseando-se numa altitude superior do que a que você está dormindo. Além disso, você não tem que levar tanto peso de uma só vez!
  6. Durma bem – É essencial para aclimatar bem! Lembrando que o processo de aclimatação à hipóxia (falta de O2) acontece em maior intensidade durante a noite, quando o seu metabolismo cai. No entanto, eu tenho um bom macete para você dormir bem e melhorar esse momento importante da aclimatação: mantenha a cabeça sempre alta! Dessa forma a pressão intra-craniana diminui e você não tem dor de cabeça. Eu geralmente coloco as minhas botas por baixo do isolante térmico e isso faz um belo travesseiro.
  7. Vá devagar – Mesmo que você consiga ir mais rápido, não se apresse. Sei que às vezes é difícil, especialmente quando bate aquela ansiedade e você acabou de chegar na montanha. No entanto o corpo humano demora a aclimatar e você precisa pegar leve! Isso também se aplica quando você carrega duffels ou coisas pesadas. Os movimentos também devem ser lentos, pois podem aumentar a sua dor de cabeça.
    Maximo contemplado o amanhecer a 6000m no Chaupi Orko - Foto: Pedro Hauck/Maximo Kausch

    Maximo contemplado o amanhecer a 6000m no Chaupi Orko – Foto: Pedro Hauck/Maximo Kausch

  8. Dor de cabeça – É algo comum na altitude, assim como a falta de apetite e náuseas. A primeira ação que você deve tomar na hora da dor de cabeça é PARAR! Se você seguiu todas as minhas dicas, está hidratando bem mas ainda tem dor de cabeça, o ideal é parar por 10 minutos. Se a dor de cabeça não melhorar, o ideal é tomar um analgésico como Advil e esperar pelo menos 1 hora até a droga fazer efeito (cuidado aqui com as alergias). Se a dor de cabeça não melhorar mesmo assim, você deve descer e perder pelo menos 500 metros de altitude.
  9. Além da altitude – Não é só com altitude que você precisa se aclimatar. Tem fatores como o ar seco, o frio, ficar longe de casa e não ter comunicação. Tudo isso requer tempo. Para o ar frio e seco, o ideal é você ter uma bandana cobrindo a boca para fazer com que a região fique úmida e você não perca tanto líquido pela sua expiração.
  10. Divirta-se e vá lá para curtir – Longe de ser um conselho motivacional, esta é a melhor estratégia para escalar montanhas de altitude. Acredite em mim, já escalei centenas delas e inclusive sou o recordista mundial nisso! Ir para a montanha com preocupações trazidas de casa ou com compromissos de entregar resultados como fazer cume ou “ser o primeiro” é algo que adiciona muito no seu psicológico e traz um efeito negativo. O cume no final da expedição é só um bônus. Ir lá sem focar no cume é sempre a melhor estratégia para atingir o próprio cume!perfil_maximo
Escrito por Thaís Teisen
Thaís Teisen é jornalista, formada pela FIAM-FAAM, com especialização em Mídias Digitais pela Universidade Metodista de São Paulo. É apaixonada por esportes, natureza, música e faz parte do time The North Face de Conteúdo Digital.