O filme “Livre”, interpretado pela atriz norte-americana Reese Witherspoon, conta a história verdadeira da autora Cheryl Strayed, que decidiu pegar uma mochila e viajar sozinha por uma das trilhas mais longas da América, a Pacific Crest Trail (PCT).

A experiência não foi apenas uma viagem de aventura, mas também um caminho enorme de descobertas. Enquanto percorria dezenas de quilômetros diários a pé, Cheryl refletia sobre os acontecimentos passados de sua vida, ao mesmo tempo em que superava uma série de desafios para trilheiro nenhum botar defeito.

Uma mochila pesada demais e uma bota muito pequena foram apenas uma parte dos perrengues enfrentados por ela no caminho que liga a Califórnia ao Oregon. Quando decidiu começar a viagem, a única experiência que a autora tinha era o que havia aprendido com os livros. Na vida real, aquela teoria toda nunca tinha sido colocada em prática por ela. Então, foi necessário aprender, literalmente, “na marra” os segredos e macetes para suportar as longas caminhadas, sobreviver aos animais selvagens que aparecem na trilha, montar e desmontar uma barraca, fazer fogueira e cozinhar, entre outras coisas.

Quando o livro virou filme, os diretores tiveram muito cuidado em manter essa essência de como é realmente encarar sozinha uma trilha desse porte, tão longa e desafiadora. Para deixar tudo mais real, uma curiosidade é que a atriz principal, Reese Witherspoon, nem pôde se olhar do espelho durante toda a gravação, afinal esse não é o tipo de luxo e/ou preocupação que costuma passar pela cabeça em meio a uma trilha, certo?

Além dos momentos de reflexão sobre a vida, o filme ainda nos deixa algumas lições muito importantes para quem faz trekking e hiking:

20170831_cargueira

20170831_bota0120170831_barraca01
20170831_resolve01

 

Escrito por Thaís Teisen
Thaís Teisen é jornalista, formada pela FIAM-FAAM, com especialização em Mídias Digitais pela Universidade Metodista de São Paulo. É apaixonada por esportes, natureza, música e faz parte do time The North Face de Conteúdo Digital.