Foto: Viv Lynch/Flickr - Creative Commons

Localizado entre os Estados Unidos e o Canadá, o Lago Superior impressiona, não só por seus números, mas também por sua beleza. As águas extremamente limpas e cristalinas abrigam diferentes espécies aquáticas e uma imensidão de possibilidades aos humanos.

De acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), o Lago Superior tem 257 quilômetros de largura e 563 quilômetros de comprimento. Sua área, que soma mais de 82 mil quilômetros quadrados, armazena 12.100 quilômetros cúbicos de água.

Toda essa imensidão reserva diferentes aventuras, já que o Lago Superior muda completamente de acordo com as estações do ano. Durante o inverno, ele tem de 40 a 95% de sua superfície congelada. Neste período, os turistas que vão para as cidades ao redor, principalmente para Bayfield, que é uma das mais recomendadas nesta época, conseguem fazer trilhas congeladas, mountain bike, esqui cross country e, dependendo da quantidade de gelo, é possível presenciar um evento único que é o congelamento das “cavernas do mar”.

Durante o verão também é possível percorrer as diversas trilhas da baía que abraça o Lago e realizar diversas atividades aquáticas, desde os passeios de balsa até o StandUp Paddle. Mas, vale lembrar, que mesmo que a temperatura externa esteja quente, a água ainda tende a ser gelada, com média de apenas 12ºC.

Os cientistas acreditam que a formação do Lago Superior date de mais de 1,2 bilhão de anos, quando um fenômeno natural resultou em um verdadeiro corte nos Estados Unidos, deixando uma cicatriz que ia do Kansas até Minnesota. Com o passar do tempo a região do Lago ganhou habitantes, mesmo que não muito, e se tornou também uma importante referência para a navegação e para a produção de energia.

Escrito por Thaís Teisen
Thaís Teisen é jornalista, formada pela FIAM-FAAM, com especialização em Mídias Digitais pela Universidade Metodista de São Paulo. É apaixonada por esportes, natureza, música e faz parte do time The North Face de Conteúdo Digital.