Dicas Produtos e Equipamentos

As meias podem parecer apenas um detalhe. Mas, a verdade é que elas podem definir o sucesso ou o fracasso de uma aventura. Ninguém quer ter bolhas, passar frio, calor ou sentir desconforto a cada passo. Por isso, saber escolher a meia certa para uma trilha, seja um trekking, hiking ou corrida, é fator essencial. Afinal, meia não é apenas um detalhe! Por isso, nós separamos algumas dicas que vão te ajudar a fazer a escolha certa e evitar muitos perrengues na montanha.

O material

O setor têxtil utiliza diversas matérias-primas na fabricação de roupas e acessórios. Alguns materiais bem comuns são: algodão, poliéster (e outras fibras sintéticas como a poliamida) e lã. No caso das meias, nós vamos nos concentrar nesses três tipos de fabricação.

– Algodão: Não é indicado para atividades físicas em geral. Apesar de ser muito confortável e gostoso de usar, o algodão absorve muita umidade e suor e não evapora rapidamente. A combinação entre calçado fechado, umidade e caminhada não é nada interessante. Os pés ficam superaquecidos, suam mais e logo as bolhas aparecem para acabar com toda a experiência.

– Sintético: Acrílico, elastano, poliamida e poliéster são só alguns dos materiais sintéticos usados na fabricação de roupas e isso inclui as meias. Uma grande vantagem dos materiais sintéticos é que eles não retêm em si a umidade do corpo, o que faz com que sequem muito mais rápido do que o algodão. No caso das meias, as matérias-primas mais comuns são o poliéster e a poliamida. Entre eles, a poliamida tem o melhor desempenho. Além de ser mais respirável, ela também tem o toque mais suave. A desvantagem dos tecidos sintéticos é que eles são mais suscetíveis aos odores. Em uma trilha de longa duração, em que qualquer peso a mais na mochila faz uma enorme diferença, contar com só dois pares de meia pode ser um problema que resulta naquele famoso “chulé”.

– Lã de Merino: Entre todas as opções, a Lã de Merino é a mais eficiente. Esta é uma fibra natural, produzida pelos carneiros da raça Merino, e um material que se adapta perfeitamente aos climas frios e quentes. Assim como os tecidos sintéticos, a lã merino também é capaz de absorver a umidade do corpo e enviá-la à parte externa, para maximizar a evaporação. A fibra de merino é capaz de reter até 30% de seu próprio peso em umidade e, ainda assim, manter o toque seco. Para se ter ideia, nos tecidos sintéticos esta capacidade é de, em média, 7%. Outra vantagem que faz uma diferença absurda é o fato de a lã merino ser extremamente resistente aos odores, através do controle de bactérias. É possível utilizar peças feitas com esse material por dias, suar muito, não lavar e ainda assim continuar sem cheiro. (Clique aqui e veja meias Smartwool, feitas em lã de merino)

meia_smartwool
Entre todas as opções, a Lã de Merino é a mais eficiente. – Foto: Smartwool

O tamanho

Depois de escolher a matéria-prima, é preciso decidir sobre o tamanho da meia. Existem modelos invisíveis, cano baixo, médio e cano alto. Essa escolha pode ser feita tanto por preferências pessoais ou estilo, como por necessidade. Por exemplo, se você fará um trekking em áreas de mata fechada ou com vegetação rasteira, as meias de cano alto ou até os modelos que vão até os joelhos são bastante indicados, pois proporcionarão mais proteção.

É bem importante lembrar que as meias devem sempre ficar acima do cano das botas, para evitar o atrito da pele com o calçado e as possíveis bolhas que isso causa.

Nunca use meias largas para os seus pés. Algumas marcas possuem modelos específicos para homens e mulheres. Mas, em geral, isso não é um grande problema. O mais importante é ter as meias adequadas para o tamanho do seu pé. Ela deve ficar justa no pé, para que o calçado vista melhor e os atritos também sejam reduzidos, para, novamente, evitar as bolhas.

meia_smartwool
Nunca use meias largas para os seus pés. – Foto: Smartwool

Amortecimento

Assim como existem variações na altura das meias, também existem diferentes opções quando o assunto é amortecimento. Em geral, as opções são: sem amortecimento, leve, médio e pesado. Algumas meias possuem áreas almofadadas, principalmente na região do calcanhar, onde ocorre o maior impacto durante as passadas. É justamente a densidade disso que define o nível de amortecimento de uma meia. As meias mais grossas e com amortecimento pesado são indicadas, principalmente, para os longos trekkings em que você caminhará por dias com uma mochila pesada nas costas. Mas, isso não é uma regra. Se você fica confortável com uma meia desses para caminhadas curtas, fique à vontade para utilizá-las. Mas, lembre-se: meias grossas também ocupam mais espaço dentro do calçado. Então, experimente e as meias e o calçado juntos para não ter nenhuma surpresa.

Confira aqui as meias Smartwool.

 


Escrito por

Thaís Teisen

Jornalista, formada pela FIAM-FAAM, com especialização em Mídias Digitais pela Universidade Metodista de São Paulo. É apaixonada por esportes, natureza, música e faz parte do time The North Face de Conteúdo Digital.