Produtos e Equipamentos

Se você está começando a se aventurar nas trilhas já deve ter percebido que alguns terrenos são muito desafiadores. É muito comum se deparar com obstáculos como pedras, raízes, umidade, lama e muito mais. São exatamente nesses momentos que estar com o calçado correto vai fazer toda a diferença e garantir a sua segurança e integridade física no meio da aventura.

Quem já é trilheiro sabe bem que investir em uma boa bota de trilha é o melhor jeito de ter uma caminhada tranquila e aguentar esses passos por muito mais tempo. Se você ainda não está convencido disso, nós listamos algumas características que vão incentivar a colocar uma bota no pé, ao invés do seu tênis de academia, e sair para a próxima trilha.

  1. Proteção dos tornozelos

Logo de cara a diferença mais óbvia entre uma bota e um tênis é a altura do cano. Em geral, as botas de trilha vão até um pouco acima dos ossos do tornozelo. Isso existe por uma função, que é proteger os pés de torções, principalmente quando o terreno tiver muitas pedras e inclinação.

  1. Impermeabilidade

Os calçados usados normalmente para treinar na academia ou correr na cidade não são feitos para tomar chuva. Mas se tem uma coisa que ninguém quer é ficar com o pé molhado na trilha, seja por causa das condições do clima ou por atravessar algum curso d’água. Por isso, a maior parte das botas de trekking são fabricadas com tecnologia de impermeabilidade, para impedir que a água entre ao mesmo tempo em que o suor sai.

  1. Solado com mais tração

É óbvio que não existe uma regra proibindo as pessoas de usarem tênis “normais” na trilha. Mas, se o seu calçado foi pensado para ser usado na rua ou na esteira, certamente o solado dele é mais liso, diferente dos calçados pensados para trilhas. As botas e até mesmo os tênis de trail run possuem saliências maiores no solado. Elas são como “cravos”, que podem variar de tamanho, mas sempre com o objetivo de proporcionar mais tração ao solo, mesmo quando o terreno é desafiador, com pedras, lama, escorregadio etc.

trilha_nova_zelandia

  1. Biqueira reforçada

Nós já falamos antes aqui sobre os obstáculos no caminho. É justamente por isso que as botas e tênis de trilha possuem a biqueira reforçada. Proteger os dedos é essencial, por isso, a parte frontal é sempre feita com um material mais resistente.

  1. Entressola mais rígida

Para correr na rua, a maior parte dos atletas prefere tênis ultra macios, que amorteçam bem o impacto das pisadas no asfalto. Na montanha o próprio terreno já tende a ocasionar naturalmente menos impacto. Portanto, os calçados podem ser mais densos, com a entressola mais rígida. Isso proporciona mais estabilidade nos terrenos irregulares e também ajuda a aumentar o retorno do esforço pelas passadas, reduzindo o desgaste em longo prazo.

 


Escrito por

Thaís Teisen

Jornalista, formada pela FIAM-FAAM, com especialização em Mídias Digitais pela Universidade Metodista de São Paulo. É apaixonada por esportes, natureza, música e faz parte do time The North Face de Conteúdo Digital.