Destinos Dicas

O Brasil com toda a sua imensidão, é famoso entre os amantes de ecoturismo por ser um ótimo lugar para fazer trekkings. Esse é o post certo para você que já encara grandes desafios e quer aproveitar a temporada de montanha.

3 trekkings incríveis no Brasil

Pico Paraná

A Montanha mais alta do sul do Brasil está no Paraná e tem 1877m de altura. O Pico Paraná fica a cerca de uma hora de carro de Curitiba, mais precisamente em Antonina.

Considerado um dos mais difíceis e desafiadores do país, o trekking do Pico Paraná definitivamente exige preparo e condicionamento físico. Estamos falando de nove quilometros super desafiadores!

Mas por que esse trekking é tão complicado? A resposta se deve à variação do terreno: arenoso, lamacento, mata fechada, penhascos perigosos e troncos de árvores. Além disso, é também uma trilha longa. O ideal é que se durma na montanha, para poder fazer o trajeto com calma, além de curtir cada instante pernoitando na montanha.

Para chegar lá, pegue a BR 116 sentido Curitiba – São Paulo. Passe o pedágio e fique atento no km 46, exatamente no início da ponte que passa pelo Rio Tucum. Em uma entrada sem sinalização e de estrada de terra prepare-se para os cinco quilometros que vem por aí, rumo à fazenda. Nessa estrada de chão, observe as placas que levam até a entrada da trilha. Na segunda bifurcação você deverá virar à esquerda, sentido mercadinho e logo chegará. Estacione o carro, respire fundo e alongue-se. A aventura começa agora!!

Travessia Petrópolis x Teresópolis

A Travessia Petrópolis x Teresópolis é uma das mais famosas do Brasil e isso não é à toa. Podendo ser feita em dois ou três dias, fica dentro do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, no Rio de Janeiro. Tem cerca de 30km de extensão e, de fato, é preciso estar preparado para fazê-la. Isso porque conta com trechos acidentados, elevador, cavalinho e escalaminhada.

O roteiro em três dias é o ideal, pois desgasta menos e exige menor tempo por dia.

Sugere-se ir de Petrópolis para Teresópolis, e não o contrário. Quando feito no sentido inverso, a dificuldade de trechos complicados tende a ser ainda maior, como é o caso do elevador e do cavalinho. Já a vista no sentido sugerido é bem mais bonita do que saindo de Teresópolis, pois as montanhas ficam exatamente de frente para o trilheiro. No inverso, elas ficam nas costas.

É da rodoviária do Rio de Janeiro que saem os ônibus rumo a Petrópolis. Chegando na cidade, informe-se sobre a entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos. Lembre-se que é preciso chegar cedo para começar o trekking, e que talvez passar uma noite na cidade seja uma boa alternativa. Do centro até o início da trilha dá cerca de R$50 de Uber, mas você pode também ir de ônibus a partir do Terminal de Corrêas. As linhas 611 e 616 seguem trajeto Bonfim, sendo que a segunda te deixa mais perto da entrada do parque.

Você pode ler mais detalhes do relato da Travessia Petrópolis x Teresópolis feito pela Luisa Galiza, do Leve na Viagem.

Serra Fina

Também com aproximadamente trinta quilômetros de extensão, a Travessia da Serra Fina fica na Serra da Mantiqueira, tríplice divisa dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. O início da trilha é na cidade de Passa Quatro, em Minas Gerais. O recomendado é que essa trilha seja feita em quatro dias, pois têm muitos desníveis ao longo do percurso. Como as outras, exige muito preparo físico e familiaridade com a prática de longas caminhadas.

Um dos aspectos que dificultam a realização dessa trilha é a neblina. O paredão que marca a divisa dos três estados forma uma espécie de barreira para as nuvens que se acumulam, diminuindo a visibilidade do trajeto. Trilhas desafiadoras necessitam e muito de um guia.

A Travessia da Serra Fina, que recebe esse nome por ter trechos estreitos, abriga três dos picos mais conhecidos entre os montanhistas: Pico do Capim Amarelo (2.491 m de altitude), Pedra da Mina (2.798 m de altitude) e o Pico dos Três Estados (2.656 m de altitude).

Para chegar a Passa Quatro, tudo depende da sua localização, podendo ser qualquer um dos três estados (SP, BH ou RJ). Por isso, o ideal é que se faça uma busca de qual logística fica mais agradável para você. É, de fato, um trekking indispensável para quem ama a prática.

O que levar para esses trekkings incríveis?

Para essas três aventuras nos picos irados do Brasil, o ideal é que tenha vestimentas de qualidade para te proteger do frio da montanha e do microclima que pode envolver muita chuva. O sistema de 3 camadas é espetacular (e necessário) para essas ocasiões. Ele funciona assim:

 

  1. A segunda pele, para manter a temperatura do seu corpo, é o que chamamos de primeira camada. Fica a sugestão da segunda pele calça e segunda pele blusa.
  2. Como segunda camada, o fleece entra com o objetivo de aquecer o corpo. O Fleece Canyolands por exemplo, exerce muito bem sua função.
  3. O anorak é uma jaqueta corta vento e impermeável que protege contra chuva e te mantém seco. Essa terceira camada é essencial em qualquer montanha. Minha sugestão é o modelo Resolve que é leve e bastante eficiente.

 

Lembre-se que você consegue 10% off em TUDO da The North Face com o cupom levenaviagem! E serve tanto para compra online quanto para a loja física 🙂

 


Escrito por

Luísa Pires

Luísa Pires é licenciada e pós graduada em Letras, atuando desde 2018 na redação do Leve na Viagem. Amante de livros, viagens e das descobertas de novas aventuras.